Paralelamente à Conferência da ONU sobre Mudança Climática, COP 20, Lima, capital do Peru, recebeu a XV Assembleia Anual da Federação dos Partidos Verdes das Américas (FPVA) entre os dias 5 e 7 de dezembro. Com a participação de delegações de 14 países – 10 países-membros e 2 países observadores – além de uma delegação da França e uma representante do Global Greens, o encontro foi muito representativo, principalmente pela aprovação de duas resoluções significativas, segundo Fabiano Carnevale, secretário de Relações Internacionais do PV Brasil e co presidente Executivo da FPVA.Segundo Fabiano, entre as posições da FPVA, destaca-se o rechaço aos mecanismos eleitorais que privilegiam os financiamentos milionários das grandes corporações que influenciam o processo democrático e a oligarquização do poder instituído através da compra de votos e da ocupação partidária das máquinas estatais. “É um momento delicado para os movimentos de ecologia política. Demonstramos nossa preocupação com as ondas conservadoras que invadem diversos países do mundo e provocam danos profundos nos processos democráticos”, relatou Fabiano.A delegação do PV, composta por Carla Piranda, secretária Nacional de Organização, Fabiano Carnevale, secretário de Relações Internacionais do PV Brasil e copresidente Executivo da FPVA e Júlia Dupprè, secretária Nacional de Juventude, estiveram presentes durante os três dias de evento e acordaram sobre a posição da FPVA para a COP-21 que será realizada em Paris, no próximo ano. Além disso, um documento intitulado “Declaração de Lima” com um apanhado sobre as posições da FPVA diante da política do continente americano também decorreu desta reunião.Para o próximo ano, foi aprovada uma linha de ação que tem como objetivo aprimorar a estrutura organizacional da FPVA. Ainda durante a Assembleia, a FPVA condenou algumas ações do governo conservador de Stephen Harper no Canadá, que apoia e estimula a atuação devastadora da mineradoras de seu país em diversas partes da América Latina. Foram denunciadas atitudes antidemocráticas e antiecologistas do governo boliviano, como o apoio à energia nuclear, aos transgênicos e a instituição da reeleição indefinida.Como copresidente da FPVA, Fabiano Carnevale afirmou que a principal vantagem deste cargo é a retomada do espaço político na arena internacional dos verdes, um movimento presente em mais de 90 países. “Como copresidente Executivo da FPVA e membro do Comitê Executivo da Global Greens, tenho procurado fortalecer os laços de solidariedade que nos unem a esse movimento. Uma das grandes conquistas foi o apoio da Global Greens ao nosso candidato presidencial, algo que sempre foi objeto de conflito entre nós e os verdes europeus”, declarou Fabiano.

Júlia Dupprè confirmou a realização do Encontro dos Jovens para novembro do próximo ano, dois dias antes da XVI Assembleia Anual da FPVA. O evento será realizado em Santo Domingo, na República Dominicana. Segundo Julia, é preciso estabelecer um estímulo à participação juvenil dentro dos espaços partidários nacionais.

Outras atitudes condenadas pelos membros do FPVA foi a atuação do governo brasileiro nos debates sobre a crise climática, o aumento do desmatamento na Amazônia, o ataque ao direitos indígenas e a manutenção do acordo nuclear Brasil-Alemanha. Também expressam apoio incondicional ao processo de paz colombiano e saudamos as conquistas do governo de José Mujica no Uruguai.

Segundo sua avaliação, Fabiano acredita que houve muitos avanços, além da consolidação do PV Brasil como um dos mais relevantes Partidos Verdes no mundo. “No âmbito da FPVA, tenho trabalhado para estreitar as pontes entre os verdes do norte e sul, e também no esforço para politizar a organização”.

Federação de Partidos Verdes das Américas – A Federação de Partido Verdes das Américas (FPVA) teve seus estatutos aprovados na 1ª assembleia que aconteceu no Brasil, na cidade de Ilhabela (SP), em março de 1998. Seu primeiro presidente executivo foi o mexicano Jorge Gonzalez Torres. As assembleias são realizadas anualmente, desde 2001. No Brasil, a última aconteceu na cidade de Natal, em dezembro de 2011.

Além do PV Brasil, são membros da FPVA os partidos verdes da Argentina, Bolívia, Canada, Chile, Colômbia, Estados Unidos, República Dominicana, México, Peru e Venezuela, além da Guatemala e Nicarágua, que ainda participam como observadores.

12241669_10208202014547123_7041101441164374290_n